Archive for the ‘desmatamento’ Category

Em busca de uma solução para o Cerrado

carneiro no cerrado

Arnaldo Carneiro: O Cerrado é o espaço dos falsos dilemas

Em março deste ano, o pesquisador Arnaldo Carneiro saiu em expedição Cerrado adentro para levantar material sobre atual geografia de ocupação do bioma.

Levou consigo o filmmaker Todd Southgate pra registar tudo que visse e ouvisse no caminho. Recolheu um super material com vozes de vários atores ligados aos problemas do uso insustentável do bioma. Autoridades, cientistas, cerradenses, geraizeiros,  quilombolas, etc.

Partiram de Brasilia em direção ao Matopiba e durante 10 dias percorreram 3,8 mil km dentro.

Arnaldo conta que o Cerrado virou um espaço de disputa de falsos dilemas: “a produção acredita que a conservação atrapalha o seu negócio, e os conservacionistas acreditam que a produção vai engolir todo o Cerrado”, afirma. “Mas a verdade, é que há espaço para todas as agendas: social, econômica e da conservação.”

Mudança do clima

O documentário também aborda como a crise do clima afetará o bioma. Segundo Carneiro, os impactos tendem a ser graves e não deverão poupar a agricultura empresarial. “Com a mudança do clima, a agricultura que se expande para o Matopiba poderá ser efêmera”, alerta.

Ele ouviu a professora Mercedes Bustamante, do Departamento de Ecologia da UnB, que também prevê um cenário difícil para a agricultura na região, “com a mudança do clima, os custos com defensivos e fertilizantes deverão crescer enormemente para manter a produção”, avalia.

mercedes

Mercedes Bustamante (Eco/UnB): sem sustentabilidade, a agricultura vai sofrer

Mas Carneiro aponta soluções. “Temos de olharmos as terras já ocupadas, elas podem ser um campo de expansão da produção”, avalia. “Trata-se de uma área de 35 milhões de ha com aptidão para receber agricultura”, garante.

Produzir é conservar – Já alguns anos Carneiro vem estudando a transformação por que passa o Cerrado. Recentemente publicou um estudo sobre o tema, que serviu de base para a rota da expedição. Veja aqui: Produzir é conservar.

O documentário ainda não está pronto. Parte da narração está em inglês e ainda não tem legendas. Mas o material já é uma aula sobre o Cerrado. Clique no link abaixo:

Em busca de uma solução para o Cerrado

 

carneiro quilombola

Quilombola: 80% de suas áreas no Tocantins foram invadidas pelo agronegócio

 

Anúncios

Clipping da floresta – 22/05/17

 

Diante da crise que se instalou no Palácio do Planalto, os principais setoristas na imprensa avaliam que as votações no Congresso Nacional devem desacelerar. O próprio ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, já admite atraso de “um ou dois meses na apreciação do texto”. Avaliações indicam também que o Friboigate pode ser um revés na agenda ruralista na Câmara e no Senado.

Por outro lado, segundo os analistas, a crise tende a valorizar o apoio dos deputados ligados ao agronegócio. Para se ter uma ideia, segundo matéria do Valor, para aprovar as reformas da Previdência e do Trabalho, o Governo teria topado reduzir a alíquota do Fundo de Apoio ao Trabalhador Rural (Funrural) de 2,3% para 1,5% e perdoado débitos existentes e parte das multas e encargos. Isso corresponderia a um total de R$ 10 bilhões. Também no próximo Plano Safra, o governo vinha sinalizando o aumento  do subsídio aos juros; os primeiros números divulgados indicam que, no 2º semestre deste ano, o setor agropecuário deverá ter mais R$ 20 bilhões em juros subsidiados. Até o final do ano, somando tudo o montante poderá chegar a R$ 30 bilhões para o agronegócio. Isso tudo antes da crise.

(Com informações da Clima Info)

FRIBOIGATE PARALISA CONGRESSO: 16 MPs DE TEMER CORREM RISCO DE EXPIRAR
Governo teme quórum baixo em votações
http://www.poder360.com.br/congresso/friboigate-paralisa-congresso-16-mps-de-temer-correm-risco-de-expirar/
https://oglobo.globo.com/economia/cronograma-da-reforma-da-previdencia-pode-sofrer-mudancas-diz-meirelles-21374535

 

O AGRONEGÓCIO E O BRASIL: QUEM CARREGA QUEM NAS COSTAS?
À medida que as negociações dentro do governo federal se aproximam de uma definição em torno do Plano Safra 2017/18, previsto para ser lançado até o fim de maio, a equipe econômica já sinalizou que aceita reduzir em pelo menos 1 ponto percentual as taxas de juros das linhas de financiamento para investimento a juros controlados, apurou o Valor.
http://www.valor.com.br/agro/4973750/fazenda-aceita-reduzir-juro-em-ao-menos-1-ponto-no-plano-safra
http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2017/para-aprovar-reforma-governo-afeta-arrecadacao-da-propria-previdencia
http://www.agricultura.gov.br/noticias/moderfrota-impulsiona-contratacoes-do-credito-rural-na-atual-safra/desempenho-credito-rural-safra-2016-2017-julho-a-novembro-2016.pdf/view

 

EXCESSOS RURALISTAS
Editorial da Folha de S. Paulo, deste domingo, dá continuidade as notícias sobre o paradeiro da tramitação das MPs e PLs pró-desmatamento na semana passada. Diz que, paradoxalmente, o caos instalado em Brasília pelos Batista pode pôr por terra parte da investida ruralista no Congresso. Para virarem lei, as MPs que reduzem UCs da Amazônia têm de ser votadas pelo Senado e sancionadas por quem estiver presidente até o dia 29, daqui a uma semana, o que é, nas palavras do editorial da Folha, “perspectiva hoje, das mais improváveis". O Observatório do Clima fez duras críticas ao setor. E a ClimateChangeNews publicou um artigo de Fabiano Maisonave contando como a JBS, protegida dos últimos governos, acabou por trair Temer para tentar salvar a própria pele.
http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2017/05/1885879-excessos-ruralistas.shtml
https://www.facebook.com/ObservatorioClima/photos/a.737024159659493.1073741828.140336485994933/1692212370807329/
http://www.climatechangenews.com/2017/05/19/brazils-pro-beef-president-temer-betrayed-industry-courted/
http://www.valor.com.br/politica/4972876/analise-joesley-rifou-brasil-para-garantir-migracao-da-jbs-aos-eua

 

VIVEMOS NA ERA DO PODER DE TORNAR O MUNDO INABITÁVEL
n-ão é chute, mas pesquisa publicada no periódico científico "Environmental Research Letters" : pelo menos em Honduras, há correlação forte entre aumento de apreensões da droga e corte raso de floresta completamente fora do padrão usual de derrubada. Na Nicarágua e na Guatemala a correspondência se mostra menos evidente.
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/marceloleite/2017/05/1886216-noticias-do-antropoceno.shtml
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=329325&codDep=52

 

André Trigueiro
Recebi a carta abaixo do Ministério do Meio Ambiente. A carta, assinada por Sarney Filho, é endereçada ao partido dele, o PV. O Ministro explica porque - apesar do agravamento da crise - não pretende entregar o cargo. Nas entrelinhas, deixa claro que se sair do Ministério agora, entregará o posto para quem não tem compromisso com a área ambiental. Segue a carta.
https://www.facebook.com/AndreTrigueiroJornalista/posts/1484624384934626

 

SUSTENTABILIDADE É BOM NEGÓCIO
A ciência mostra que não temos tempo a perder e reivindica ações de impacto em relação às mudanças climáticas. Recentemente, a Marcha pela Ciência, originada em Washington, ganhou o mundo com este propósito, em clara resposta às posturas adotadas por Donald Trump. Um estudo recém-lançado pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) aponta que ignorar esta agenda é, além de um desprezo à ciência, um mau negócio.
Leia mais: https://oglobo.globo.com/opiniao/sustentabilidade-bom-negocio-21368775#ixzz4hosc2Nydstest

 

O FIM DA PROPINOCRACIA EXTRATIVISTA
Da coluna de Reinaldo José Lopes, na Folha de S. Paulo: a erupção dos vulcões JBS, Odebrecht (e concorrentes) e Petrobrás está destruindo a “adesão tácita à ideia de que não dá para fazer as coisas de outro jeito”, que estaríamos “condenados por toda a eternidade a ser o reino do boi, da hidrelétrica superfaturada e do petróleo fedido”. Existiria assim a oportunidade de aprendermos a ler nossa imensa biblioteca natural, de encontrar e aprender sobre novos e velhos materiais e produtos. Lopes fala em transformar as zikas da vida em usinas de um “conhecimento cada vez mais crucial num mundo hiperconectado”. E termina chamando a atenção para as próximas eleições, oportunidade de busca de “candidatos que sejam capazes de enxergar a importância de criar um modelo não extrativo para a economia do país”.
http://www1.folha.uol.com.br/colunas/reinaldojoselopes/2017/05/1885706-so-economia-tecnologica-pode-nos-livrar-da-propinocracia-extrativista.shtml

 

Projeto BioREC incentiva atividades econômicas que reduzem impacto à floresta
Com o BioREC, o Instituto Mamirauá assessora pequenos extrativistas para gerar renda e conservar a floresta
http://www.acritica.com/channels/governo/news/biorec-incentiva-atividades-economicas-que-reduzem-impacto-a-floresta

 

Árvores se comunicam entre si e têm até uma 'internet' própria
Na África, acácias liberam o gás etileno quando as girafas se põem a mastigar as folhas. Árvores vizinhas, então, bombeiam mais toxinas para suas folhas, para desencorajar o apetite das girafas
http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2017/05/1885728-arvores-se-comunicam-entre-si-e-tem-ate-uma-internet-propria.shtml

 

Evento: Código Florestal completa cinco anos cercado de impasses em São Paulo
Representantes do governo, empresários, ambientalistas e pesquisadores da área se encontrarão no dia 25 de maio (quinta-feira) no evento “Código Florestal em São Paulo: impasses e oportunidades” para debater a regulamentação da lei no Estado de São Paulo. O encontro será no Reserva Cultural (Avenida Paulista, 900), em São Paulo.
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfelpP-roypAUFFSvjcvvlqI8Bx79VoXboeCEUN-mBcd9o9uA/viewform?c=0&w=1
file4566

A bike e o menino – Jacareacanga/PA, 2010