Errata (alheia): Ao contrário do que diz IPEA, Acre produz 1,3 milhão de mudas de nativas por ano

fonte: Secom Acre

Comitiva alemã com equipe do Viveiro da Floresta

Entrou em contato comigo, André Pellicciotti, chefe de departamento de silvicultura do Viveiro da Floresta, em Rio Branco, no Acre. Ele leu a nota abaixo sobre a pesquisa da produção de muda do IPEA e não entendeu como o viveiro que chefia pôde ter ficado de fora – sendo órgão estatal e devidamente cadastrado no Renasem.

O Viveiro da Floresta funciona há 10 anos e produz 1 milhão de mudas de mais de 60 espécie de árvores nativas por ano. Mantém uma filial em Cruzeiro do Sul, norte do estado, com capacidade de produção de mais 160 mil mudas por ano. Se precisar aumentar a produção, o Viveiro da Floresta tem capacidade instalada para produzir 50% mais – sem perder a qualidade.

André conta que, assim que leu a nota, entrou em contato como o IPEA, que, por sua vez, colocou a culpa no Ministério da Agricultura (MAPA), cujas unidades estaduais teriam apoiado a pesquisa.

Detalhe: o Viveiro da Floresta, localiza-se na rodovia AC-40, Km 3, nº 1.387. Vizinho da unidade estatal do MAPA, em Rio Branco.

Bem, deixa pra lá.

O fato é que o Viveiro da Floresta mantém 25 funcionários, sendo três de nível superior, aprovados em concurso público. Produz mudas de 60 espécies nativas, como mogno, cumaru ferro; além de frutíferas da região, como o açaí.

O serviço de coleta de semente é terceirizado, mediante edital. A empresa vencedora vai a campo com equipe de mateiros e é dela a responsabilidade da identificação das árvores matrizes.

Além da produção de mudas nativas, o Viveiro da Floresta já começou um projeto de mudas micropropagadas. Em dois anos, deverá produzir 1 milhão de mudas de banana e abacaxi.

Produção privada – Além do Viveiro da Floresta, localizei um outro de iniciativa privada. Também fica em Rio Branco e tem site e tudo, Reflorestadora Amazônia Viva.

Liguei lá, atendeu a engenheira florestal responsável, Miriam Barbosa. Ela também estranhou o fato de terem ficado de fora, até porque são referência no estado, onde operam desde 1998. A empresa está devidamente cadastrada no Renasem.

No entanto, ao contrário de André, Miriam, como boa acreana, já está conformada em ver seu estado sempre esquecido por Brasília.

Ela conta que a empresa produz 300 mil mudas por ano e emprega 18 funcionários. Mas opera também no mercado de exóticas e ornamentais.

Perguntei a ela sobre a concorrência. Miriam disse que a empresa dela é a maior do Acre, mas que sabe de algumas outras com capacidade de até 30 mil mudas/ano.

7 X 1 – Se o IPEA não consegue localizar os viveiros em plena capital do Acre, a embaixada da Alemanha conseguiu. Ontem mesmo o Viveiro da Floresta recebeu a ilustre visita do embaixador da Alemanha, Divle Brengelmann. Veja nota da Agência de Notícias do Acre: aqui

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by Sandra on 18/05/2015 at 13:12

    Ótimo!

    Responder

  2. […] (A boa notícia é que os números estavam subestimados. Só o Acre produz 1 milhão de mudas por ano, que o IPEA não enxergou na pesquisa. Veja nota aqui) […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: