Depois da lambança feita, como fazer uma limonada desse limão?

O documentário “A Lei da Água (Novo Código Florestal)” retrata a polêmica sobre as mudanças na legislação que prevê o que deve ser conservado e pode ser desmatado nas propriedades rurais e cidades brasileiras.

O impacto sobre a capacidade da floresta de proteger mananciais de água e, assim, prevenir crises como as que afetam São Paulo hoje, por exemplo, é um dos temas centrais da produção.
O documentário foi realizado ao longo de 16 meses, com base em pesquisa e 37 entrevistas realizadas no Rio, São Paulo, Pará, Mato Grosso, Paraná e Brasília. Foram entrevistados ambientalistas, cientistas, ruralistas e agricultores, alguns dos quais acompanharam de perto a controversa tramitação da nova lei no Congresso e opinam sobre seus impactos, trazendo perspectivas diversas e discordantes sobre o tema. Alguns deles devem estar na pré-estreia.

Ainda sem previsão de distribuição, a obra foi dirigida por André D´Elia e conta com o Fernando Meirelles na produção executiva. D’Elia também é o autor de “Belo Monte, o anúncio de uma guerra”, já assistido por 45 mil pessoas nos cinemas e mais de 3 milhões de pessoas na internet. D´Elia e Meirelles também estarão na pré-estreia.

A obra é uma parceria do Instituto Socioambiental (ISA), Fundação SOS Mata Atlântica, Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS) e Bem-Te-Vi Diversidade. Após a exibição, haverá um bate-papo entre público, o diretor e representantes dessas organizações.

Estão no filme o senador e ex-governador Blairo Maggi (PR-MT), os deputados federais Ivan Valente (PSol-SP) e Ricardo Trípoli (PSDB-SP), a subprocuradora da República Sandra Cureau, o ambientalista Mário Mantovani, pesquisadores de instituições como a USP e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), entre outros.

“O Código Florestal Brasileiro deve ser bom para a agricultura, deve ser bom para a floresta e deve ser cumprido. Espera-se que o público compreenda as questões relacionadas à lei, podendo decidir por si próprio o que é melhor para o Brasil. E que vença a melhor ideia!”, afirma D´Elia.

O filme alerta sobre as consequências do novo Código Florestal – aprovado há mais de dois anos e que anistiou 29 milhões de hectares desmatados ilegalmente em todo País – e sobre o que ainda pode ser feito para evitar mais prejuízos ao meio ambiente.

O documentário vem a público no momento em que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF) quatro Ações Diretas de Inconstitucionalidade contra a Lei 12.651, que revogou o antigo Código Florestal de 1965.

Ficha Técnica (resumida)
Produção: Cinedelia.
Coprodução: O2 Filmes.
Produção Executiva: André D’Elia e Fernando Meirelles.
Direção: André D’Elia
Consultor de Conteúdo: Raul Silva Telles do Valle
Montagem: Raoni Reis
Direção de Som: Diego Depane.
Cinematografia: Federico Dueñas
Direção de Arte: Vital Pasquale
Trilha Sonora Original: Fábio Barros e Gabriel Nascimbeni
Platô: Digo Castelo Branco

fonte: http://www.sosma.org.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: